SEJA BEM-VINDO - Odontoclínica (84) 9 8727-4192/ 0800 020 5998 - Drogaria e Conveniência Muniz (84) 3259-0017/3636-0089/3258-2659 - Mercadinho São Luiz (84) 9 8735-0313 - Loja Bárbara (84) 3251-2349/9 9623-9548 - Monteiro Marques Advogados (84) 9 8836-9383/9 9709-9709 - FPCruz Advogados Associados (84) 9 9414-1317/ 3251-2080 - Visão Contabilidade (84) 9 9110-5675/9 9221-3030 - SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR.

09 julho, 2017

BARCELONA/RN: Eficiência do esporte contra as drogas

O problema das drogas, uma das maiores preocupações em relação a juventude brasileira, devido ao acesso fácil em todas as cidades do meio urbano ou rural, passou a ser combatido na cidade de Barcelona, distante 100Km de Natal, de uma forma que tem se mostrado eficaz: esporte e orientação. A ideia do projeto Bom de bola, bom de escola surgiu em 2005, quando preocupado com a ameaça do crescimento da criminalidade na cidade, o hoje secretário municipal de Esportes, Eduardo Lopes, resolveu plantar a semente que germinou e se transformou num programa de sucesso, com o apoio da prefeitura local.
Alunos do projeto conseguiram melhorar o rendimento escolar
Alunos do projeto conseguiram melhorar o desempenho
Passados doze anos de trabalho apenas com o futebol de campo, juntamente com os coordenadores Alessandro Maurício, Nélson Lopes, Fabiano Lopes o secretário resolveu estender o programa, que teve uma excelente aceitação na zona urbana, para o meio rural criando o Futsal Nota 10. Agora as atividades estão concentradas tanto no Ginásio de Esportes Damásio Alves quanto no Estádio Municipal Teófilo Lopes.

Nas duas modalidades, o projeto atende crianças e jovens na faixa etária entre 7 e os 18 anos, a exigência para participação é manter as boas notas na escolas. Ao longo de todo esse período, apenas um aluno acabou excluído por causa do baixo aproveitamento escolar.

“Terças e quintas pela manhã são as turmas a partir de 13 anos. Nesses mesmos dias a noite são realizados os trabalhos com as turmas de 7 a 10 anos. As turmas de 15 a 18 anos treinam na quinta as 20 horas. Nos outros dias da semana fazemos trabalhos educativos e acompanhamento escolar rigoroso”, informou Eduardo Lopes.

Antes de cada início de treino, o projeto que já atraiu a atenção e o apoio da Polícia Militar, realiza palestras sobre a importância da educação e também de se evitar o caminho das drogas. “Barcelona é uma pequena cidade que, como as demais, sofre com as drogas. Enxergando esse problema, criei esse projeto, que foi uma extensão do projeto bom de bola, bom de escola que criamos em 2005 através do futebol de campo”, explicou o secretário de Esportes Eduardo Lopes.
Crianças recebem todo material de apoio para praticar o futebol
Crianças recebem todo material de apoio para praticar o futebol 
Para que a criança ou adolescente possam ser admitidos no projeto, é necessário que se cumpram alguns requisitos. O aluno tem que estar matriculado, comprovar assiduidade nas aulas, ter boas notas na escola e um bom comportamento nas ruas e em casa com os pais. 

“Juntamos tudo isso e fazemos uma avaliação geral. O projeto tem as categorias do sub 7 até sub 18, são 12 categorias. Atualmente temos cerca de 120 crianças e adolescentes na cidade, além de cerca de 100 na zona rural, onde iniciamos o projeto. Nosso intuito é socializar, fazendo um trabalho de políticas públicas, combatendo as drogas por meio de informações”, destacou.
Na área rural de Barcelona, adesão é considerada muito boa
Na área rural de Barcelona, adesão é considerada muito boa
O acompanhamento dos alunos também ocorrer in loco, os coordenadores comparecem as escolas, conversam com os professores sobre o desenvolvimentos dos estudantes beneficiados, além da realização do acompanhamento do comportamento dos mesmos na família também. 

“Corri atrás de colaboradores, reuni amigos e familiares para adquirir material. Tirei do meu salário do mês para comprar o material necessário. Fazemos um trabalho em conjunto com o Conselho Tutelar, Polícia Militar e algumas secretarias do município. Tudo para dar a chance desses garotos se transformarem num cidadão do amanhã, ser uma pessoa boa e ter uma oportunidade de vencer na vida”, reforçou Eduardo Lopes.

“Corri atrás de colaboradores, reuni amigos e familiares para adquirir material. Tirei do meu salário do mês para comprar o material necessário. Fazemos um trabalho em conjunto com o Conselho Tutelar, Polícia Militar e algumas secretarias do município. Tudo para dar a chance desses garotos se transformarem num cidadão do amanhã, ser uma pessoa boa e ter uma oportunidade de vencer na vida”, reforçou Eduardo Lopes.

Via TRIBUNA DO NORTE