SEJA BEM-VINDO - Odontoclínica (84) 9 8727-4192/ 0800 020 5998 - Drogaria e Conveniência Muniz (84) 3259-0017/3636-0089/3258-2659 - Mercadinho São Luiz (84) 9 8735-0313 - Loja Bárbara (84) 3251-2349/9 9623-9548 - Monteiro Marques Advogados (84) 9 8836-9383/9 9709-9709 - Visão Contabilidade (84) 9 9110-5675/9 9221-3030 - F&M Doce Delícia (84) 9 8864-6051- SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR.

27 julho, 2017

Navio nazista afundado em 1939 que pode ter R$ 407 milhões de ouro do Brasil é encontrado na Islândia

O SS Minden (Foto: Reprodução/Twitter/@Corriere )

Um navio nazista carregado de ouro proveniente do Brasil, afundado em 1939, foi encontrado perto do litoral da Islândia. O Minden, navio alemão afundado em setembro de 1939, teria sido identificado nas últimas semanas quase 80 anos após seu afundamento, a cerca de 190 km de distância do litoral islandês, graças as atividades da empresa britânica especializada em recuperação de navios afundados “Advanced Marine Services”.

Ele estaria carregado com cerca de 4 toneladas de ouro, por um valor de cerca de 110 milhões de euros (cerca de R$ 407 milhões). O ouro tinha sido retirado do Banco Germânico, uma filial brasileira do banco alemão Dresden.

Quando estava se aproximando da Europa, o Minden foi identificado e abordado por cruzadores da marinha britânica HMS Calypso e HMS Dunedin. Adolf Hitler em pessoa ordenou ao capitão que afundasse o navio para não permitir que os britânicos obtivessem a carga. A tripulação do Minden foi resgatada pelo HMS Dunedin e levada para a base naval de Scapa Flow, nas Ilhas Órcades, um arquipélago no norte da Escócia.

Nem todos os historiadores concordam se o ouro ainda está a bordo do navio, mas as elevadas despesas já realizadas pela empresa para recuperar os restos do Minden seriam indícios da presença de algo muito valioso a bordo.

A Advanced Marine Services pretende recuperar o tesouro e levá-lo no Reino Unido. No entanto, os arqueólogos marinhos da empresa ainda não conseguiram avaliar se há realmente ouro na embarcação, já que não obtiveram a autorização para permanecer em águas territoriais da Islândia, conduzir pesquisas ou confiscar o conteúdo do navio submerso.

Por isso, uma batalha judicial para determinar quem irá ficar com o tesouro está sendo travada na pequena ilha europeia.

Quando há algumas semanas a guarda costeira islandesa perguntou à tripulação do Seabed Construtor, navio contratado para realizar a investigação, por que eles estavam lá, recebeu respostas vagas.

“Eles disseram que estavam procurando uma relíquia da Segunda Guerra Mundial, mas não afirmaram nada mais”, explicou Georg Lárusson, comandante da guarda costeira islandesa.

Agora as autoridades da Islândia terão determinar quem é o proprietário dos restos do Minden e, eventualmente, autorizar a Advanced Marine Services a leva-los à Grã-Bretanha.

G1