SEJA BEM-VINDO - Drogaria e Conveniência Muniz (84) 3259-0017/3636-0089 - Visão Contabilidade (84) 9 9110-5675/9 9221-3030 - CFC AUTO POTENGI (84) 3251-2627/ 9 9413-9088/ 9 9935-3295 - SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Capitais perdem participação no PIB do país e Natal fica em 17º posição

Como não poderia deixar de ser, dentre as 26 capitais contribuintes, São Paulo ocupou a primeira posição, enquanto Palmas, no Tocantins, ocupou o último lugar no ranking


José Aldenir/ Agora Imagens

No sentido contrário 5.545 repartem os 62,3% restantes. Este grupo dos 25 maiores PIB representam apenas 23,5% da população.
Os municípios de Cruzeta (RN) e Itatiaiuçu (MG) apresentaram recuo de participação em função dos preços do minério de ferro. Em Estrela do Sul (MG), o fraco desempenho da silvicultura foi responsável pela queda na participação do município.

A desaceleração no setor de instalação de máquinas e equipamentos também influenciou negativamente o município de Bodó (RN). Em Barra do Rocha (BA), a retração na atividade de Construção foi a responsável pela redução da participação econômica. Como não poderia deixar de ser, São Paulo ocupou a primeira posição e Palmas, no Tocantins, ficou em último lugar.
Florianópolis (SC) foi a única capital a não ocupar a primeira posição no ranking do PIB municipal em seu estado, sendo precedida por Joinville, que faz parte do polo metal mecânico catarinense, e por Itajaí, que se destaca nas atividades portuária, industrial e de outros serviços.

Concentração
Em 2015, sete municípios (todos capitais) concentravam cerca de 25,0% do PIB do país e abrigavam 14,3% da população. Desses sete municípios, os cinco primeiros (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Curitiba) mantêm a mesma posição no ranking na série 2010 a 2015.
Dentre os 25 maiores PIB de fora da região Sudeste, todos são capitais. Manaus e Belém, região Norte, Salvador, Fortaleza e Recife região Nordeste, Curitiba e Porto Alegre da região sul e Brasília e Goiânia da região Centro-Oeste. De 2002 a 2015, em 20 dos 26 estados brasileiros o PIB das capitais perdeu participação no PIB nacional.
Em 2002, 36,1% do PIB brasileiro era proveniente das capitais dos estados, valor que em 2015 passou para 33,1%, representando uma perda de 2,9 pontos percentuais.
Municípios avançam
Ao contrário, os municípios fora das capitais eram responsáveis por 63,9% do PIB e passaram a contribuir com 66,9%, um avanço de 2,9 pontos percentuais no mesmo período.
De 2002 até 2014, a queda de participação das capitais é um pouco maior: 3,2 pontos. Em 2015, os 1.353 municípios do país com os menores PIB responderam por aproximadamente 1,0% do PIB nacional e concentraram 3,2% da população.
Nessa faixa, estavam 73,2% dos municípios do Piauí, 59,6% dos municípios da Paraíba, 51,8% dos municípios do Tocantins e 48,5% dos municípios do Rio Grande do Norte.

Via/ Agora RN