Assembleia adia para terça-feira início da discussão sobre pacote de ajustes

Presidente da Casa afirmou que, ao contrário do que foi defendido por alguns deputados, as dezoito mensagens enviadas pelo governador Robinson Faria (PSD) serão analisadas nas comissões temáticas

José Aldenir / Agora Imagens Prédio ficou cercado por manifestantes durante a manhã desta quinta-feira

Após uma reunião fechada que durou cerca de 40 minutos, os deputados estaduais definiram que o pacote de medidas de ajuste fiscal encaminhado pelo Executivo para apreciação da Assembleia Legislativa em convocação extraordinária só começará a ser discutido na próxima terça-feira, 16.

O presidente da Casa, Ezequiel Ferreira (PSBD), fez o anúncio ao reabrir, por volta das 14h45, a sessão extraordinária que estava suspensa havia quase 1h.

O parlamentar afirmou também que as dezoito mensagens enviadas pelo governador Robinson Faria (PSD) serão analisadas nas comissões temáticas da Casa antes de irem a plenário para votação. A dispensa de tramitação chegou a ser defendida por alguns deputados.

De acordo com a assessoria da Assembleia, nenhuma deliberação deve ser tomada quanto aos projetos, que devem ser lidos em plenário apenas na sessão de terça-feira e, depois, encaminhados para tramitação nas comissões.

CONVOCAÇÃO EXTRAORDINÁRIA

Com um atraso de quase quatro horas, Ezequiel Ferreira abriu, por volta das 13h40 desta quinta-feira, 11, a primeira sessão da convocação extraordinária da Casa para apreciar o pacote de medidas de ajuste fiscal encaminhadas pelo Governo do Estado.

O primeiro ato do parlamentar foi solicitar a análise do plenário quanto ao pedido de convocação feito pelo governador Robinson Faria (PSD). Os deputados aprovaram o início dos trabalhos por 13 votos favoráveis contra 4. Foram contra a convocação os deputados Fernando Mineiro (PT), Carlos Augusto Maia (PSD), Márcia Maia (PSDB) e Larissa Rosado (PSB). A Assembleia tem 24 deputados estaduais e bastava que a maioria estivesse presente para que o ato formal acontecesse.

Depois da aprovação, o presidente suspendeu a sessão e chamou os deputados para uma reunião fechada, que definiu que a Casa só voltaria a se reunir na terça-feira.

PROTESTO

Do lado de fora da Assembleia, o clima ficou mais tranquilo à tarde. Pela manhã, cerca de 150 manifestantes, a maioria formada por servidores grevistas da Saúde, furaram o bloqueio feito na entrada do prédio e promoveram empurra-empurra, além de proferirem palavras de ordem contra as medidas. Os manifestantes tentaram também impedir a entrada de deputados estaduais e de jornalistas na Casa.

Homens da Força Nacional, do Exército e da Polícia Militar estão fazendo o patrulhamento na região, mas nenhuma ocorrência grave foi registrada.