FESTA DAS ROSAS

FESTA DAS ROSAS
SEJA BEM-VINDO - Drogaria e Conveniência Muniz (84) 3259-0017/3636-0089/3258-2659 - Visão Contabilidade (84) 9 9110-5675/9 9221-3030 - SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Servidores ocupam entrada da Assembleia para evitar a votação do pacote fiscal

Organizados para evitar que deputados entrassem para votar, manifestantes de sindicatos derrubaram a grade de os separava da entrada do prédio e ocuparam a porta principal da entrada

José Aldenir / Agora Imagens Servidores protestaram revoltados em frente à Assembleia Legislativa

Mais de 150 servidores se concentraram nesta quinta-feira, 11, em frente à Assembleia Legislativa, para protestar contra a votação do pacote de medidas proposto pelo governador Robinson Faria (PSD). Os sindicalistas tentaram impedir a entrada de alguns deputados estaduais e da própria imprensa.

Diferentemente dos jornalistas, os parlamentares conseguiram entrar.Dois deles, os deputados estaduais Hermano Morais (PMDB) e Ricardo Motta (PSB), foram hostilizados pelos protestantes. Um jovem manifestante chegou a ser empurrado e sofreu ferimentos leves nos braços.


Do alto de um carro de som, durante os pronunciamentos que se seguiram, um sindicalista atribuiu à deputada Márcia Maia (PSDB) a informação de que a votação não teria quórum.

Em contato com a assessoria da Assembleia, porém, foi esclarecido que os deputados sequer estavam dentro do plenário e não haveria previsão para que a votação se iniciasse.

O deputado Raimundo Fernandes (PSDB), foi cercado por alguns manifestantes e e chegou até a dizer que pediria a renúncia de Robinson para se livrar do assédio. Com um visual renovado, sem bigode, o parlamentar ouviu piadas de alguns manifestantes que recomendaram que ele saísse de lá e voltasse para o conforto da casa de praia e do uísque 12 anos.

O deputado Fernando Mineiro (PT) e o vereador Sandro Pimentel, contrário às propostas do governo, transitaram tranquilamente entre os manifestantes para acompanhar o progresso. Mas a certa altura, Mineiro se pacientou com um dos manifestantes que cobravam dele uma posição contrário ao governo. “Eu sei, minha gente, vamos ficar calmos, estou aqui desde às 6 da manhã”.