SEJA BEM-VINDO - Drogaria e Conveniência Muniz (84) 3259-0017/3636-0089 - Visão Contabilidade (84) 9 9110-5675/9 9221-3030 - CFC AUTO POTENGI (84) 3251-2627/ 9 9413-9088/ 9 9935-3295 - SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Frota de carros em todo o país cresce e já passa de 43,3 milhões, diz Sindipeças

Trânsito na Rodovia Anchieta, em São Paulo, em outubro de 2015 (Foto: Renato Mendes/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)

A frota de veículos aumentou 1,2% em 2017 no Brasil, na comparação com o ano anterior, aponta estudo do Sindipeças, que reúne as fabricantes de autopeças.

O volume de carros, comerciais leves (picapes e furgões), caminhões e ônibus que circularam no país no ano passado chegou a 43.371 milhões.

Em 2015 e 2016, anos de crise mais aguda para o setor automotivo, ele tinha ficado praticamente estável em 42 milhões.

Os comerciais leves (picapes e furgões) foram o tipo de veículo que mais cresceu, com um acréscimo de 1,8% sobre 2016. Os automóveis, que são a maioria, tiveram alta de 1,1% na frota.

O número de caminhões ficou estável em relação a 1 ano atrás e o de ônibus caiu quase 1%.

Idade da frota

A idade média da frota de carros, caminhões e ônibus ficou em 9 anos e 7 meses, um pouco acima dos 9 anos e 3 meses registrados em 2016.

Ainda de acordo com o Sindipeças, a maior parte dos dos veículos que circulam no Brasil (52%) tem de 6 a 15 anos de uso. Em segundo (30%) estão os que têm até 5. E outros 6% são veículos com mais de 20 anos.

Uma pesquisa recente do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) apontou que, por conta da crise, a renovação da frota está mais lenta.

Em 2017, o país ganhou 889 mil veículos (considerando os novos menos os que saíram de circulação). Em 2011, um dos anos do auge nas vendas de carros zero, o aumento foi de 4 milhões.

Veículos por habitante

O número de veículos por habitante vem se mantendo estável desde 2015. No ano passado, a média foi de 4,8 habitantes por veículo.

Ela é inferior à de países com economias mais maduras e também à da Argentina, e é usada pelas montadoras para apontar o potencial de crescimento do mercado brasileiro.

O estudo diz ainda que, em 10 anos, essa relação reduziu 34%: em 2007, era de 1 veículo para cada 7,3 habitantes.

Motos

Contada à parte, a frota de motos, que está na casa dos 13 milhões desde 2013, segundo o estudo, caiu 2% no ano passado. Foi a segunda baixa consecutiva.

Auto Esporte – Globo