Polícia Civil cria comissão para investigar mortes de agentes de segurança no RN

Fora assassinados 14 policiais militares no Rio Grande do Norte em 2018; comissão será formada por três delegados da Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa
Reprodução / Facebook Um dos casos que serão investigados é o do Cabo José Airton de Lira, morto em 26 de janeiro deste ano

Redação

A Delegacia Geral de Polícia Civil (Degepol) publicou no Diário Oficial desta quinta-feira, 17, portaria criando uma Comissão que investigará os homicídios praticados contra os agentes de segurança pública na região de Natal e da Grande Natal, cometidos desde janeiro de 2017.

Em 2018, 14 policiais militares foram assassinados em todo o Rio Grande do Norte. A média é de um caso a cada 10 dias. Um dos casos que serão investigados é o do Cabo José Airton de Lira, morto em 26 de janeiro deste ano. Ele estava em um bar, na cidade de São Gonçalo do Amarante, quando foi executado.

A comissão será formada por três delegados da Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

De acordo com a portaria, consideram-se agentes de segurança pública os servidores dos quadros da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP), Polícia Civil e Agentes Penitenciários Estaduais.

A Comissão será instalada em uma dependência da DHPP, e além de contar com o trabalho dos policiais civis que fazem que da Especializada terá a participação efetiva das equipes das Delegacias de Polícia dos municípios que fazem parte da Grande Natal.

Agora RN