Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Apesar de integrantes do governo já admitirem a exclusão de estados e municípios da reforma, o presidente também falou que a inclusão ou não ainda está sendo negociada
Luís Macedo/Agência Câmara - Bolsonaro entre Alcolumbre (à esquerda) e Maia, em fevereiro. 
O presidente Jair Bolsonaro criticou governadores do Nordeste ao falar sobre a permanência ou não dos Estados e municípios na reforma da Previdência e admitiu que a proposta defendida pelo governo traz desgate para o Congresso.

“Para entrar Estados e municípios (na reforma), os governadores, em especial do Nordeste, de esquerda, têm que votar a favor. Até pouco tempo eles queriam que fosse aprovada a reforma com voto contrário deles, para não ter desgate, porque tem desgaste ao Parlamento. Sim, tem”, disse. Os presidentes da Câmara e do Senado recebem os governadores do Nordeste nesta terça.

Ele ponderou que há um sentimento dentro e fora do Parlamento de que “temos que mudar”. “Se não mudar, o Brasil vai ter mais problemas econômicos do que já temos no momento”, afirmou. Bolsonaro falou com jornalistas ao chegar para almoço no Ministério da Defesa.

Apesar de integrantes do governo já admitirem a exclusão de estados e municípios da reforma, o presidente também falou que a inclusão ou não ainda está sendo negociada. Qualquer que seja o resultado, Bolsonaro disse esperar que a leitura do relatório na Câmara seja concluída nesta terça-feira. Ele contou, ainda, que conversou sobre o assunto com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o relator do texto, Samuel Moreira (PSDB-SP). “Participo no que é possível.”

Sobre a pressão de policiais para abrandamento para a categoria no parecer, Bolsonaro disse que todos terão sua cota de sacrifício. Ele tratou do assunto com o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, e o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo.

Agora RN

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib