VALEIXO DIZ QUE BOLSONARO NUNCA LHE PEDIU RELATÓRIOS DE INTELIGÊNCIA OU INFORMAÇÕES DE INQUÉRITOS


Em seu depoimento, Maurício Valeixo foi questionado sobre o que considera interferência política na Polícia Federal.

Segundo ele, seria quando há uma “indicação com interesse específico numa investigação específica”. Mas que, sob seu ponto de vista, isso nunca aconteceu.

“O presidente nunca tratou diretamente sobre a troca de superintendentes, nem nunca lhe pediu relatórios de inteligência ou informações sobre investigações ou inquéritos policiais.”

A versão de Valeixo enterra qualquer ilação de que teria prevaricado ao admitir pedidos de natureza ilegal.

Ao depor, o próprio Sergio Moro disse que Bolsonaro tratou de eventuais demandas de relatórios de inteligência, pela primeira vez, na reunião do dia 22 de abril. Ele se demitiu dois dias depois.